segunda-feira, dezembro 03, 2018

Lamento por Andalucia


saem os federicos ao campo em Andalucia
nom sabem que começou a noite
e nada se sabe do dia

saem os federicos a pôr o peito e a vida
e o monstro sedento espreita
a sugar a valentia

na fragua afogam as nenas
prata e ferro, lua cheia
vam os federicos todos
aos campos da noite eterna

mas seguem os versos no ar
e no coraçom da terra
que hai que abrir as aguas
para acolher a patera

que nom que nom
que ao poeta nom se enterra
e o fantasma segue vivo
na veiga e mais na serra

canta Federico canta!
que nom afogue a tua terra
com o ódio que sembra o monstro
e que afunde as pateras

canta Federico canta!
enche-nos a alma e as veias
com poemas de carne e fel
eternos como as estrelas

que vam outros federicos
a tentar de recolhe-las
antes de que o monstro poda
matar com noite ao poeta

Nenhum comentário: